Escolha uma Página

O que é gestão de benefícios? A gestão de benefícios é uma estratégia gerencial que proporciona vantagens tanto para os colaboradores quanto para os gestores da empresa. A política de benefícios internos pode incluir seguro de vida, exercícios de meditação, cursos, planos de saúde e várias outras coisas do interesse dos colaboradores.

Os gestores que adotam essa estratégia sabem como são visíveis as melhorias no comprometimento dos funcionários, na satisfação pessoal e profissional dos indivíduos e no clima organizacional da empresa. Os trabalhadores, por sua vez, passam a ter uma sensação de dever cumprido e um sentimento de valorização.

No entanto, para que a implantação da gestão de benefícios obtenha sucesso, é preciso selecionar as melhores práticas, avaliar o nível de contentamento dos trabalhadores e equalizar tudo com os recursos disponíveis.

Ficou interessado no tema e quer saber mais sobre as vantagens da gestão de benefícios para a sua empresa? Confira o post de hoje e descubra! Boa leitura!

Aumento da produtividade da equipe

A eficiência das atividades está diretamente relacionada ao tempo para executá-la e ao número de indivíduos envolvidos. Quando essa balança está favorável, é certo que a produtividade da empresa aumentará.

Para que produtividade da empresa seja evidente e traga vantagens futuras é importante que os colaboradores estejam satisfeitos com seus afazeres, engajados e alinhados com os objetivos do empreendimento.

É fundamental, portanto, pensar na saúde de todos os funcionários e direcioná-los para as atividades físicas que mais encaixam ao seu perfil. Além da famosa ginástica laboral, muitas empresas têm optado pela avaliação psicológica, na qual os indivíduos serão analisados e direcionados para as atividades condizentes com sua personalidade.

Assim, a empresa demonstra que está preocupada não só com a manutenção da saúde física do indivíduo como também com a sua saúde mental. As causas da falta de entusiasmo dos colaboradores serão investigadas e podem ser tomadas medidas pontuais ou gradativas conforme os resultados — em alguns casos a família será notificada disso.

Assim, os gestores garantirão funcionários mais comprometidos, maior produtividade dos serviços, menor índice de absenteísmo e indivíduos mais satisfeitos.

Maior integração da equipe

A gestão de benefícios tem como propósito principal reter talentos dentro da empresa, criar um clima organizacional positivo e diminuir a tensão existente entre subordinados e suas respectivas chefias.

As formas de executar essas tarefas dependerão do porte e da característica das empresas. Grandes corporações necessitam de políticas mais abrangentes, que abarcam desde um bom plano de saúde extensivo aos familiares até descontos em estabelecimentos de lazer e restaurantes.

Pequenas empresas, por sua vez, podem investir no espírito acolhedor, solicitando sugestões dos seus colaboradores e instituindo vantagens conforme os recursos financeiros destinados a esse nicho.

Em todas essas situações é preciso divulgar bem as opções de benefícios disponíveis, pois isso mantém a credibilidade de suas ações e encoraja o engajamento de todos.

Redução de custos em longo prazo

Com uma política de privilégios para os trabalhadores será possível observar uma redução de custos em longo prazo. Afinal, o nível de tensão entre os colaboradores tenderá a diminuir e as consequências desse problema desaparecerão gradualmente.

O resultado será a redução do número de atestados médicos suspeitos, o controle dos sintomas emocionais dos trabalhadores, um maior compromisso com as responsabilidades profissionais e a melhoria da situação empresarial como um todo.

Por outro lado, um ambiente carregado negativamente favorece o aparecimento de doenças emocionais (depressão, síndrome do esgotamento e transtornos de ansiedade), aumenta o número de faltas e os índices de rotatividade dos funcionários.

Os colaboradores não indicam para os amigos e familiares as empresas que não contam com condições favoráveis ao trabalho e, assim, a tendência é o desequilíbrio da instituição. Porém, esse cenário tende a mudar significativamente quando o negócio adota as práticas corretas.

Nesse sentido, é fundamental avaliar as necessidades dos funcionários, verificar a viabilidade da implantação desses benefícios e analisar os resultados.

Capacitação para reter talentos

Sabe aquela arte de lapidar um diamante? Pois é justamente isso o que alguns benefícios podem representar para os trabalhadores. Ao identificar um trabalhador com potencialidades gerenciais, personalidade para desbravar novos horizontes ou para melhorar os indicadores da empresa com novas ideias é crucial investir em sua formação.

Pensando nisso, alguns negócios estão financiando cursos de atualização, pós-graduação ou intercâmbio no exterior para que esse colaborador traga propostas novas de atuação para o ambiente empresarial.

A capacitação de funcionários do alto escalão tem sido uma constante nas grandes corporações — no entanto, instituições menores também podem financiar cursos de curta duração para que os trabalhadores se adaptem às novas demandas do mercado.

Fortalecimento de laços familiares

Atualmente, as políticas empresariais devem englobar ferramentas que ampliem sua área de atuação e incorporem os laços familiares. Essa estratégia se configura como um enorme diferencial dentro da gestão de benefícios.

Afinal, os funcionários muitas vezes estão no ambiente de trabalho pensando na família, na falta de oportunidades de encontros fraternos durante a semana e em outras preocupações semelhantes.

Sabendo disso, os gestores devem elaborar práticas tais como “crianças no trabalho”, “noite dos casais”, “creches em meio período”, “cursos de diversão para pais e filhos” e tantas outras que possibilitam a aproximação entre as famílias e a empresa.

Essas atitudes minimizam a distância entre os entes familiares, ajudam a divulgar uma boa imagem da empresa para outros profissionais e disseminam ações benéficas e gratificantes para todos os envolvidos.

A gestão de benefícios é uma política positiva para implantar estratégias que valorizam o desempenho dos funcionários, criam oportunidades para o crescimento deles dentro da empresa e elaboram práticas que visam o bem-estar dos indivíduos.

Como mencionamos ao longo deste artigo, as estratégias desse estilo de gestão incluem a concessão de bons planos de saúde, gratificações por performance, viagens e até cursos no exterior para o colaborador que se destaca.

Por isso, é importante que os gestores selecionem as melhores propostas e invistam gradativamente nos benefícios aos seus trabalhadores para não gerar frustrações ou prejuízos financeiros.

Agora que você sabe o que é gestão de benefícios, quer inovar nesse quesito e não sabe como começar? Entre em contato conosco e saiba como nós podemos ajudá-lo!