Escolha uma Página

Ainda que o plano de saúde para funcionários, é obrigatório por lei, as empresas que optam por disponibilizar mais essa vantagem podem se beneficiar com os resultados positivos que essa política proporciona. Porém, é preciso escolher o produto.

Afinal, os planos de saúde não são iguais: esse serviço varia segundo a empresa que o oferece e a cobertura contratada. Pensando nisso, preparamos este guia, que vai esclarecer diversas dúvidas sobre esse tema e ajudar você a encontrar a melhor solução para a organização e seus colaboradores.

Acompanhe!

Benefícios do plano de saúde para funcionários

Muitas empresas ainda têm o pensamento de que manter um plano de saúde para seus funcionários é, na verdade, um gasto e por isso, algo desnecessário. No entanto, esse benefício é um excelente investimento, que traz vantagens para a empresa.

O que presidentes, diretores, líderes e gerentes não podem esquecer é que a empresa opera pelas mãos dos funcionários. Para que ela tenha uma boa produtividade, possa cumprir metas dentro do prazo, fabrique produtos de qualidade ou ofereça serviços profissionais bem-feitos e sem refação, ela precisa de seus colaboradores.

A saúde e o bem-estar deles estão diretamente relacionados com o sucesso e crescimento da empresa. Afinal, um funcionário satisfeito e com boa saúde explora melhor o seu potencial — ou seja, produz melhor.

Confira seguir algumas vantagens e os benefícios do plano de saúde empresarial para as organizações:

Redução de afastamentos por saúde

Depender dos serviços de saúde pública no Brasil é complicado. Além disso, por causa da dificuldade de encontrar médicos especialistas, conseguir vagas e realizar exames, muitas pessoas deixam de cumprir o tratamento preventivo.

Sendo assim, elas percebem que estão doentes apenas quando o quadro se agrava e os sintomas mais severos começam a se manifestar. Além de provocar limitações físicas, isso também demanda um tempo de tratamento maior.

Dentro das empresas acontecem muitos afastamentos por saúde, que, muitas vezes, poderiam ser prevenidos se houvesse um controle do quadro clínico do funcionário.

Se ele tiver à sua disposição um plano de saúde, poderá ter maior flexibilidade de horário para agendar as consultas sem interferir em sua atividade laboral. Também poderá contar com os médicos de que precisa e, assim, não haverá motivo para não se cuidar.

Com isso, o colaborador poderá identificar problemas ainda no começo e fazer tratamentos simples, que não vão exigir que ele se afaste do trabalho para cuidar de si mesmo. Dessa forma, a empresa terá redução no absenteísmo sem prejuízos à produção.

Maior satisfação dos funcionários

Todos nós realizamos nossas atividades com mais afinco e dedicação se nos sentimos satisfeitos com aquilo que estamos fazendo. Mesmo alguém que não tenha o trabalho dos seus sonhos cumprirá seus deveres com comprometimento, se sentir que ali ele tem vantagens.

O plano de saúde para funcionários é também uma estratégia de valorização do colaborador. Quando ele percebe que a empresa se preocupa com seu bem-estar e qualidade de vida, se dedica mais a ela, porque deseja preservar o seu emprego.

Assim, além de ter disposição física e saúde para trabalhar, o colaborador assistido por um plano de saúde também tem a mente mais tranquila, porque sabe que, se precisar, terá o atendimento necessário.

Ele se sente satisfeito com o suporte que recebe da empresa e retribui com um trabalho bem-feito. Vantagem para ambos; afinal, assim a empresa pode crescer pelo trabalho bem executado dos funcionários, na mesma proporção de sua dedicação.

Aumento da produtividade

Por várias razões, o plano de saúde para funcionários pode ajudar a aumentar a produtividade na empresa. Afinal, se o funcionário estiver sempre mal disposto em razão do seu estado clínico e se sofrer com dores e sintomas que interfiram em seu trabalho, haverá comprometimento no seu rendimento.

Por outro lado, se tiver à sua disposição um plano para agendar uma consulta sem complicações, ele se cuidará melhor e sua saúde estará em dia para que possa manter o foco e dedicação.

Além disso, funcionários que dependem do serviço público de saúde acabam tendo que faltar ao trabalho quando precisam ir ao médico, pois ficam dependentes de filas, senhas e longas esperas.

O resultado disso para a empresa é que sempre que o colaborador precisar de tratamento, vai desfalcar o quadro de funcionários e deixará de cumprir suas funções, provocando atrasos.

Outro fator que interfere na produtividade é o aspecto psicológico do funcionário. Se ele tiver uma pessoa doente ou precisando de tratamento em sua família, ficará abalado pela preocupação e o estresse. Como consequência, não se concentrará direito e, além de não produzir, poderá provocar acidentes na empresa por distração, dependo da função que exerce dentro da companhia.

Por outro lado, se o plano de saúde empresarial oferecer cobertura para seus familiares também, então o colaborador estará tranquilo, pois saberá que seus entes queridos serão bem atendidos.

Vantagens tributárias para a empresa

Além de todos os benefícios já citados que o seguro saúde empresarial oferece para as organizações, elas ainda podem desfrutar de outra vantagem, que é a declaração desse item no imposto de renda.

Incentivos e descontos tributários são sempre muito bem-vindos, pois contribuem para organizar as finanças, reduzir custos e reaver valores investidos. No caso do plano de saúde para funcionários, a empresa tem nele uma oportunidade de alcançar esses privilégios.

Para garantir isso, porém, é preciso consultar um contador para observar se há condições para essa declaração, em razão do tipo de plano de saúde escolhido e também do porte da empresa. Assim, o negócio poderá declarar com exatidão, sem correr o risco de cair na malha fina.

Como você viu, a empresa que opta por investir em um plano de saúde para seus funcionários tem mais vantagens do que desvantagens; afinal, ela terá um retorno positivo com isso. Se o plano estiver incluso nas despesas fixas desde o começo da empresa, é ainda melhor.

Assim, mesmo para aquelas que são de pequeno porte ou que estão começando agora, essa prática estará incorporada à política interna e os funcionários terão uma razão a mais para trabalharem em prol do sucesso e crescimento da organização.

Porém, é preciso ter cuidado na hora de contratar o plano de saúde. Afinal, existem diversas seguradoras e empresas que o oferecem. Sendo assim, é importante conhecer alguns detalhes para fazer uma boa escolha — e este é o assunto do nosso próximo tópico!

Como contratar um plano de saúde ideal para funcionários

Como dissemos, não existe apenas uma empresa que oferece somente um tipo de plano de saúde empresarial. Existem diversas no mercado, cada uma oferecendo o seu produto com características diferentes.

Além disso, uma mesma empresa pode oferecer tipos diferentes de plano de saúde, variações de cobertura, de adesão, diversidade na forma de pagamento, valores trabalhados, porcentagem de reembolso, e assim por diante.

Por isso, é importante não contratar o primeiro serviço que se encontre, mas, sim, fazer uma boa pesquisa antes de fechar contrato e buscar soluções customizadas para as necessidades da empresa e colaboradores. Existem muitos detalhes que precisam ser observados para que o plano seja vantajoso tanto para a empresa como para os funcionários.

O que a empresa deve observar na hora de procurar por um bom plano de saúde é o custo-benefício, garantindo que ele atenda às necessidades dos colaboradores sem impactar negativamente as finanças da empresa.

É preciso manter em mente que o plano de saúde é um produto como outro qualquer e, por isso, deve-se avaliar o “fornecedor” e as vantagens que uma determinada opção oferece em relação às outras do mercado. Entre alguns detalhes que podem fazer muita diferença na contratação do serviço estão:

Tipo de operadora

Não existe apenas um tipo de organização que ofereça plano de saúde empresarial: é possível escolher entre seguradoras, cooperativas e assistências médicas. Por isso, devem-se conhecer as necessidades da empresa e de seus funcionários para definir qual delas seria a melhor.

Essa etapa pode ser complexa, pois exige a análise interna da empresa e o estudo de cada operadora disponível. A boa notícia é que você pode contar com uma corretora de seguros especializada para ajudar nesse processo.

Ela vai auxiliar no estudo do seu caso, apresentará as melhores operadoras e também ajudará a entender as cláusulas, direitos e restrições do plano. Assim, a escolha será mais consciente e vantajosa para a empresa e os colaboradores.

De toda forma, alguns fatores que implicam na contratação dessa ou daquela operadora são:

Restrições da ANS

A ANS é a Agência Nacional de Saúde Suplementar, órgão regulamentador dos planos de saúde. Pesquise a respeito de possíveis restrições que a operadora possa ter junto a essa agência, para saber se ela poderá atender a sua empresa.

Idoneidade e riscos

Também é importante pesquisar sobre a idoneidade da operadora que se pretende contratar. Observe se ela pertence a algum grupo de maior porte, se pode oferecer algum tipo de risco corporativo, entre outros detalhes que possam trazer problemas futuros.

Tempo de atuação

Uma empresa consolidada tem menores chances de promover fraudes, falir ou deixar de prestar serviços numa determinada região. Por isso, saiba se a operadora já atua há algum tempo no mercado, se ela tem tradição em sua localidade e se carrega um nome de peso no setor.

A escolha da operadora ideal é a garantia de que a empresa vai adquirir um produto que realmente vai atender ao que precisa, com condições que estejam de acordo com o planejamento da organização e não venham causar desavenças entre as partes.

Adaptação do plano ao porte da empresa

Informe-se se a operadora que você escolheu está estruturada para atender diferentes tipos de empresa em função do seu porte. Aquelas com menos funcionários podem encontrar valores menores para a mensalidade do plano.

Também é interessante que a operadora esteja pronta para atender a essa mesma empresa de acordo com o seu ritmo de crescimento e que saiba trabalhar com valores adaptáveis para cada realidade.

Assim, você conseguirá encontrar uma parceira ideal para garantir esse benefício aos seus funcionários, de forma que ele não venha interferir negativamente no crescimento da organização. Pelo contrário, ele pode até contribuir para esse crescimento, proporcionando as vantagens que citamos no começo deste guia.

Tempo de carência

Os planos de saúde geralmente têm um tempo de carência que precisa ser respeitado. Isso significa que para começar a utilizar os serviços deve-se esperar um determinado período após a assinatura do contrato. Esse tempo pode variar para cada empresa e segundo a forma como o plano será utilizado.

É essencial ter atenção para o prazo de carência exigido pela operadora, porque ele tem um máximo de espera previsto por lei, sendo:

  • 24 horas para urgências e emergências;
  • 300 dias para parto;
  • 24 meses para lesões ou doenças preexistentes;
  • 180 dias para outros casos.

Ainda é possível reduzir esse tempo de espera, porque algumas operadoras aceitam negociar com as empresas e retiram ou reduzem o período de carência.

Ou seja, é interesse tentar essa negociação para que os funcionários não precisem esperar para começar a desfrutar do plano. Outra possibilidade é solicitar a uma corretora que faça isso representando sua empresa e intermediando esse processo, para garantir que nenhum direito da empresa ou de seus funcionários seja violado com as novas condições do contrato.

Nível de reembolso

Pode acontecer de algum médico ou procedimento não ser oferecido pela rede credenciada do plano de saúde que sua empresa contratou. Por isso, antes de adquirir o produto, informe-se se a operadora trabalha com reembolso e como ele se dá.

O reembolso é a devolução do valor investido em um procedimento. Ou seja, o funcionário pagará para ser atendido onde deseja ou precisa e apresentará o valor gasto, que será devolvido.

É preciso consultar as condições do reembolso oferecido, como é feito o processo, se existe muita burocracia para reaver o valor e se ele está de acordo com a média praticada em sua região, ou seja, se não é maior nem menor do que o funcionário realmente precisa.

Reajuste de mensalidade

A ANS também estabelece normas para o reajuste da mensalidade do plano de saúde para funcionários. Como esse reajuste pode dar um salto grande de um ano para o outro, é importante estar atento a isso.

Segundo a agência, para empresas que têm de 3 a 29 funcionários o reajuste segue os índices de sinistralidade registrados em toda a carteira trabalhada pela operadora. Ou seja, ele segue de acordo com o conjunto.

Já para empresas que tenham 30 ou mais funcionários, existe a opção de que o reajuste seja baseado na sinistralidade delas mesmas. Nesses casos, é de acordo com os procedimentos que seus colaboradores utilizam com mais frequência no plano que o reajuste será feito.

Se os serviços utilizados ao longo do ano forem mais caros, como internações, cirurgias ou a necessidade de UTI, então a mensalidade pode aumentar significativamente. Mas é importante verificar tudo isso de antemão, para saber como a operadora trata essa questão.

A alteração na mensalidade também segue outros apontadores, como a inflação média dos médicos e a faixa etária dos funcionários da empresa. Isso porque, para aqueles com mais idade, as operadoras costumam trabalhar com preços mais altos em comparação aos jovens.

Possibilidade de inclusão de dependentes

O plano de saúde pode variar, também, na questão da inclusão de dependentes, um ponto que precisa ser bem estudado. Se os funcionários da empresa têm família, pelo menos em sua maioria, esse fator é importante.

Afinal, o plano que atende exclusivamente o funcionário e deixe de fora o seu cônjuge e seus filhos pode não ser interessante para ele. Isso é ainda mais provável se for descontado do seu salário um valor mensal referente à adesão.

Ao observar esse aspecto do plano, esteja atento, porque para a inclusão de dependentes pode ser necessário acrescentar outras coberturas, como a assistência gestacional e para o parto. Se sua empresa já tem mulheres no seu quadro de funcionários, que podem precisar dessa atenção, essa cobertura pode ser interessante independentemente da inclusão de dependentes.

Além disso, observe quanto essa inclusão poderá custar para a empresa ou para o funcionário, já que pode haver uma taxa. Observe os valore praticados pelas operadoras e veja se são interessantes e vantajosos.

Abrangência geográfica

Outro ponto importante sobre a operadora e o plano contratado é a abrangência geográfica da rede credenciada. Procure saber onde estão localizados os médicos, clínicas, laboratórios e hospitais que atendem os segurados.

Isso porque você pode encontrar um plano que tenha uma mensalidade interessante, mas a rede credenciada não estar dentro da sua localidade. Assim, o funcionário teria que se deslocar para outras cidades ou regiões para receber atendimento.

Isso seria um incômodo para ele e uma desvantagem para a empresa, já que seu funcionário precisaria se ausentar por um período. O ideal é que se possa encontrar na própria cidade uma rede completa, ou, pelo menos, ampla, que ofereça os serviços mais utilizados.

Detalhes sobre a contratação do plano de saúde

Além de todos os pontos que já conversamos, outros detalhes também são importantes na hora de fazer a contratação do plano de saúde para funcionários, Como a cobertura que será oferecida. Acompanhe para saber mais:

Cobertura do plano

Os serviços que estarão à disposição dos funcionários influenciam no valor da mensalidade.

Eles podem englobar apenas o básico, como consultas, exames, atendimento ambulatorial e outros procedimentos mais simples. Porém, também podem dar direito a internações, cirurgias complexas, leito na UTI, assistência gestacional, partos, tratamentos para certas doenças (como o câncer), entre outros.

Além disso, o plano de saúde pode ou não oferecer também atendimento odontológico. Ele não necessariamente será incluso no plano, podendo ser contratado de forma independente.

O ideal é conhecer os funcionários, seu estilo de vida, seus hábitos e suas características. Pesquisas internas podem ajudar a fazer essa análise e determinar o que será útil e relevante para eles.

Adesão compulsória

Outro ponto importante é definir se a adesão ao plano será compulsória ou não. Ou seja, todos os funcionários serão obrigados a aderir a ele, ou isso será opcional?

Geralmente, a mensalidade do plano compulsório é menor para a empresa, porque, do contrário, talvez somente quem precisa de atendimento é que aceitaria a adesão. Além disso, com mais funcionários inclusos, existe a possibilidade de se reduzir a sinistralidade, já que ela é baseada nos serviços utilizados por todos.

Coparticipação

A coparticipação também deve ser avaliada para cada empresa, pois pode ou não ser vantajosa. Esse recurso trata-se da cobrança de um valor pequeno, praticamente simbólico, do funcionário cada vez que ele utilizar o plano.

Por um lado, existe a vantagem de se controlar a forma como o colaborador utiliza o benefício, pois se ele precisar pagar uma fração do serviço ele não o utilizará sem critério, o que reduz os abusos.

Por outro lado, a coparticipação pode implicar em trabalho a mais para o setor de RH, porque será preciso descontar da folha de pagamento do funcionário o valor referente aos serviços que ele utilizou.

Apesar de o controle ser feito pela operadora, as informações são enviadas para a empresa, e é ela que fica responsável pela finalização do processo.

Reajuste por idade

Também é interessante que a empresa que tenha funcionários mais velhos faça um controle de projeção dos gastos. Como foi dito, a operadora eleva o valor da mensalidade em função da faixa etária do segurado. Assim, é importante estar preparado para os ajustes que virão.

Embora não seja obrigatório por lei, o plano de saúde para funcionários é vantajoso para ambas as partes. Só é preciso ter cuidado na contratação para adquirir o produto certo.

Como é comum existirem várias dúvidas quanto a esse serviço, uma corretora facilita esse processo representando a empresa e esclarecendo minúcias do contrato. Assim, pode-se optar por um plano sem medo de errar.

A contratação de plano de saúde para funcionários pode ser complexa, e muita gente tem dúvidas sobre isso. Então, compartilhe essas informações com seus contatos nas redes sociais para ajudá-los a tomar a melhor decisão!