A Síndrome de Burnout, também conhecida como “doença do esgotamento profissional” é uma das principais causas de afastamento de profissionais dos seus ambientes de trabalho. Pensando nisso, elaboramos este artigo especial, explicando o que é Burnout e quais são as suas principais causas e sintomas.

Além de aprender como identificar o problema, você vai ter acesso a dicas e estratégias que podem ajudar a evitar ou reduzir o impacto do Burnout dentro da sua empresa. Continue a leitura e descubra!

O que é a Burnout

A Síndrome de Burnout é uma doença mental diretamente relacionada com o estresse severo ligado ao exercício de atividades profissionais. Apesar de ser um tema aparentemente novo, o problema de esgotamento profissional não é nenhuma novidade.

Entetanto, o grande estopim para o aumento dos casos de afastamento de profissionais de seus locais de trabalho em razão do estresse está diretamente relacionado à rotina cada dia mais agitada e às exigências de um mercado de trabalho altamente competitivo e rápido.

Como a Síndrome de Burnout é um problema relacionado à saúde mental, o seu diagnóstico costuma ser um pouco mais complicado, o que gera inúmeras discussões e dúvidas, tanto por parte dos profissionais quanto dos empregadores.

A boa notícia é que o problema tem diagnóstico e solução, bastando a busca de atendimento profissional capacitado.

Confira a seguir quais são os principais sintomas e descubra como identificar um possível caso de esgotamento profissional dentro da sua empresa.

Sintomas da Síndrome de Burnout

Os sintomas da Burnout podem ser tanto de ordem psicológica quanto física. Inclusive, em muitos casos, eles são confundidos com a depressão. Por isso, é tão importante que o profissional tenha um acompanhamento e diagnóstico detalhado a fim de identificar com clareza qual é o seu problema.

De forma geral, um indivíduo que está passando por esgotamento profissional costuma apresentar alguns sintomas psicológicos e comportamentais típicos, tais como:

  • excessivo e constante cansaço físico e mental;
  • dificuldade de concentração nas tarefas diárias;
  • dificuldade de socialização dentro da empresa;
  • postura negativista diante de colegas de trabalho, fornecedores e clientes;
  • alterações de humor repentinas e frequentes;
  • sentimento de insatisfação, tanto em relação ao trabalho quanto em relação à vida pessoal;
  • dificuldade de memorização e gestão das atividades laborais;
  • baixa autoestima; e,
  • ausências repentinas, frequentes e incomuns do local trabalho.

Além desses sintomas comportamentais, é possível identificar alguns problemas físicos que podem estar relacionados ao esgotamento profissional:

  • dores de cabeça constantes;
  • cansaço permanente;
  • pressão alta;
  • insônia;
  • dores musculares;
  • distúrbios gástricos; e,
  • nas mulheres, alteração do ciclo menstrual.

Como você pode ver, esses sintomas são identificados em diversos casos, inclusive não relacionados diretamente ao esgotamento profissional.

Por isso, é tão importante ressaltar a relevância de realização de um diagnóstico por um profissional capacitado, que tenha condições de avaliar até que ponto o problema realmente está ligado ao excesso de trabalho.

Causas da Burnout

A principal causa da Síndrome está vinculada à postura dos profissionais diante de suas obrigações laborais. De forma geral, os principais afetados pela Burnout são aqueles que se dedicam intensiva e exageradamente à vida profissional.

Além disso, profissionais que estão submetidos a condições de trabalho desgastantes, como em jornadas de trabalho muito extensas e excesso de viagens, por exemplo, estão mais propensas ao desenvolvimento da Burnout.

A melhor forma de evitar o aparecimento do problema é investindo em programas de qualidade de vida. Os profissionais devem dedicar um tempo ao lazer, cuidando da saúde e alimentação, praticando exercícios e mantendo uma vida social ativa.

Lembre-se que a dedicação intensa e exagerada ao trabalho pode se tornar um problema que causará justamente a necessidade de afastamento das atividades profissionais, gerando danos tanto para o profissional quanto para a própria empresa.

Prejuízos causados pela Síndrome

Além dos prejuízos pessoais causados para o profissional, com danos à saúde física e mental, a Burnout também pode representar uma série de problemas para a empresa.

Profissionais que estão passando por situações como essas têm a sua produtividade reduzida significativamente. Além disso, costumam enfrentar dilemas nas relações interpessoais com os colegas de trabalho, tornando-se também propensos a erros na execução das suas tarefas.

Outro ponto adverso é o relacionamento com clientes e fornecedores, que também pode ser dificultado em razão da síndrome e da mudança de comportamento. Essas questões impactam diretamente a organização.

Por isso, a chave para a solução é prevenir a Síndrome, ou, nos casos em que a mesma já existir, a dica é adotar algumas práticas visando minimizar os seus impactos. Confira a seguir nossas dicas:

Estratégias para evitar ou reduzir os impactos do problema

É possível adotar medidas visando reduzir a ocorrência de estresse no trabalho. Confira algumas delas:

  • invista em estratégias que integrem os colaboradores, permitindo que eles participem dos processos de planejamento estratégico da empresa;
  • adote medidas de investimento em qualidade de vida no trabalho;
  • mantenha as portas abertas para que os colaboradores possam conversar com psicólogos, profissionais do RH e demais profissionais que possam gerir e ajudar na solução de problemas de estresse ou excesso de trabalho; e,
  • esteja atento para debater com tranquilidade acerca da produtividade e do comportamento dos seus colaboradores.

Caso o problema já esteja instaurado e você tenha identificado possíveis casos de Burbout, as dicas são:

  • procure ajuda de um profissional do ramo de psicologia, pois ele poderá auxiliar a elaborar estratégias de enfrentamento do problema;
  • programe palestras com esse profissionais a serem oferecidas para todos os colaboradores;
  • ajude os profissionais a encontrarem valor naquilo que eles fazem;
  • invista na relação interpessoal entre os colegas de trabalho, demonstrando para os profissionais que eles podem fazer amigos no ambiente e que essa relação é importante para o seu bem-estar e satisfação profissional e pessoal;
  • estimule o colaborador a se “desligar” da empresa nos seus momentos de folga, pois fazer uma pausa do trabalho é muito importante  para recarregar as energias, uma vez que a dedicação extrema à vida profissional e a ausência de descanso é uma das principais causas da Burnout.

Se você percebeu que algum dos seus colegas está passando por este problema, o primeiro passo é procurar a ajuda de um psicólogo. Com o tratamento e orientações corretas, é possível encontrar uma solução eficiente para o problema.

É muito comum a pessoa que está sofrendo com o problema não conseguir identificar os sintomas. Por isso, o autodiagnóstico é raro. Dessa forma, os colegas e familiares costumam ajudar muito no reconhecimento da Burnout.

Ao confirmar o diagnóstico, fica mais fácil procurar ajuda e iniciar um tratamento. Após isso, o profissional enxerga mudanças significativas no seu comportamento e na forma de encarar o trabalho e os problemas.

Ao empresário, a principal dica é que ele avalie se as condições de trabalho podem interferir na qualidade de vida e na saúde dos seus colaboradores seja com recursos internos ou contando com uma empresa de consultoria em gestão como a New Action. Em caso positivo, a dica é que se proponham novas dinâmicas e a mudança ou adequação das atividades e objetivos profissionais.

Afinal, todos são responsáveis pela qualidade de vida e saúde dos colaboradores.

Gostou deste artigo sobre o que é Burnout? Então aprofunde o assunto com este  artigo sobre as 13 doenças ocupacionais mais comuns e dicas de como evitá-las.